Início > Editorial, Evangelho, , Igreja, Jesus Cristo, Sacerdotes > PÁROCOS . SERVIR | EDITORIAL VOZ DE LAMEGO | 2 de agosto

PÁROCOS . SERVIR | EDITORIAL VOZ DE LAMEGO | 2 de agosto

santo-cura-dars

A edição desta semana da Voz de Lamego uma belíssima ressonância das Jornadas Mundiais da Juventude, em Cracóvia, na Polónia, com muitos jovens portugueses e com alguns da nossa diocese. Vale a pena folhear, ler e reler a Voz de Lamego. Além das notícias da região e da diocese, variadas reflexões que nos ajudam a iluminar a vida com a fé e a inspiração cristã. O Editorial, da autoria do Diretor do jornal diocesano, Pe, Joaquim Dionísio, em vésperas da memória litúrgica do Santo Cura d’Ars, apresenta-no-lo, sublinhando também a missão dos párocos em servir o evangelho, as pessoas, as comunidades.

PÁROCOS . SERVIR

No quarto dia deste mês, o calendário recorda a figura discreta e o testemunho exemplar de João Maria Vianney (1786 -1859), mais conhecido como Cura d’Ars, o patrono dos párocos.

As perspectivas para a missão que lhe confiaram não eram as melhores, atendendo às dificuldades em entender o latim do curso. Mas, na discreta paróquia de Ars, o novo sacerdote vai protagonizar um belo exemplo de pastor durante 42 anos, graças ao zelo e fervor pastorais, à presença orante, à atenção diligente, ao testemunho de caridade e à disponibilidade para celebrar com os fiéis, de perto e de longe, a misericórdia de Deus na Reconciliação. Dizem que passava cerca de 11 horas no confessionário no inverno e 16 no verão. Afinal, ser pastor pode não depender do grau académico!

Os tempos são agora outros e muito diferentes daqueles que S. João Maria Vianney encontrou em Ars. Mas o essencial da missão mantém-se: o padre é enviado para anunciar o Evangelho, celebrar a fé e testemunhar a caridade. E isso não se consegue sem vontade de servir a Igreja, de caminhar com os fiéis e de obedecer para ser livre.

O próprio presbiterado não se entende sem esta disponibilidade para ser pastor no meio do Povo, para presidir na caridade e servir com humildade, para testemunhar a alegria da fé sem esconder a cruz da missão, para interpretar os sinais e ser instrumento nas mãos de Deus…

A nossa gratidão e estima aos padres que, discreta e humildemente, se doam por essas paróquias fora e que, graças à sua presença, perseverança e acção, ajudam à edificação da Igreja de Cristo.

E uma palavra de felicitação a todas as comunidades que sabem reconhecer e demonstrar gratidão diante da paixão pastoral dos seus párocos.

in Voz de Lamego, ano 86/38, n.º 4374, 2 de agosto de 2016

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: