Arquivo

Archive for 22/06/2016

Seminário Maior Interdiocesano de S. José Comunidade alagada

P1010425

No passado dia 7 de Junho, o Seminário Interdiocesano de São José reuniu a sua comunidade mais alagarda em Braga. Num encontro de trabalho, comunhão e partilha estiveram reunidos os Bispos das quatro dioceses, a equipa formadora, os seminaristas, os reitores dos seminários diocesanos, entre muitos outros colaboradores e amigos.

Do programa da jornada de trabalho fez parte a habitual reunião da equipa formadora com o Bispos e os reitores dos Seminários diocesanos, da ordem de trabalhos fez parte o balanço deste ano lectivo que agora finda e aquilo que serão as linhas orientadoras para o seminário Interdiocesano de São José. À Semelhança de encontros anteriores seguiu-se um almoço onde foi permitido à comunidade estreitar os laços fraternos que a une e trocar impressões sobre o decorrer deste ano lectivo.

Como corolário da jornada foi celebrada, na capela do Seminário Interdiocesano, a Eucarístia sob a presidência do Bispo de Bragança-Miranda, D. José Cordeiro, e que por estes dias comemora o jubileu sua ordenação sacerdotal ocorrida há 25 anos, e onde concelebraram o Bispo da Guarda, D. Manuel Felício, e o Bispo de Viseu, D. Ilídio Leandro, a equipa formadora e os reitores dos Seminários diocesanos.

Na homilia o Bispo de Bragança-Miranda recordou que é no pecado do homem que se encontra o receptáculo da misericórdia de Deus, é na medida que somos pecadores e nos arrependemos que recebemos o perdão da parte de Deus misericordioso.

Esta foi a ultima vez em que a comunidade alagada do Seminário Interdiocesano esteve reunida neste ano lectivo, depois do convívio e da partilha desta jornada preparam-se nas próximas semanas a época de exames, uma fase bastante exigente para os seminaristas que vivem e estudam nesta instituição sediada em Braga.

Diogo Domingues Jesus, in Voz de Lamego, ano 86/32, n.º 4368, 21 de junho de 2016

Irmandade Militar de Nossa Senhora da Conceição na Lapa

thumbnail_IMG_20160618_181121

No passado dia 18 de Junho, a Irmandade Militar de Nossa Senhora da Conceição foi em peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora da Lapa. Após a entrada devota e respeitosa pela Porta Santa, houve oportunidade para uma visita guiada e muito bem explicada pela Drª Ana Nunes, Directora do Museu da Lapa.

Seguiu-se um momento de oração colectiva e reflexão sobre o tema da Misericórdia que antecedeu a Santa Missa celebrada para o efeito pelo Senhor Reitor do Santuário, Rev. P.e Amorim. Assim se cumpriu um dos desígnios religiosos desta Irmandade, no presente ano.

A finalizar o dia, num dos restaurantes da Lapa, reuniu-se em confraternização o grupo dos Irmãos presentes num lanche ajantarado.

IMNSC, in Voz de Lamego, ano 86/32, n.º 4368, 21 de junho de 2016

DIOCESE-FAMÍLIA

_MG_2407

Na variedade de temas, notícias e reflexões, semana a semana a Voz de Lamego aproxima-nos da região e aproxima das comunidades paroquiais, os movimentos eclesiais e a vida da Diocese de Lamego.

A chamada de capa desta semana vai para a Feira Medieval realizada na cidade de Lamego e para as Bodas de prata Sacerdotais do Pe. Agostinho Ramalho. Mas há muitos outros motivos de interesse para ler, refletir, e voltar a ler o Jornal Diocesano. Em vésperas do Dia da Família Diocesana – próximo sábado, 25 de junho, no Santuário da Lapa -, aí está a informação, com os horários e outras informações práticas e o Editorial, do Pe. Jaoquim Dionísio, que nos apresenta a Diocese como Família, reunida à volta do Bispo diocesano.

DIOCESE-FAMÍLIA

O documento conciliar sobre o múnus pastoral dos bispos (Christus Dominus) descreve a diocese como “porção do Povo de Deus que se confia a um Bispo para que a apascente com a colaboração do presbitério”. Esse povo, reunido pelo bispo “no Espírito Santo por meio do Evangelho e da Eucaristia, constitui uma Igreja particular, na qual está e opera a Igreja de Cristo, una santa, católica e apostólica” (CD 11).

Membros desta diocese de Lamego, somos um povo a caminho, com ritmos diferentes e sensibilidades diversas, marcados pelo chão que pisamos e pelos tempos que correm. Neste peregrinar, acompanha-nos a gratidão aos que nos precederam, a consciência do que somos e a confiança no Senhor providente que nos precede.

O Dia da Família Diocesana, marcado para o próximo sábado, no Santuário de Nossa Senhora da Lapa, é mais uma oportunidade para celebrar com alegria a Igreja local que formamos e experimentar a proximidade que faz de nós um Povo. Em ambiente festivo e descontraído, este acontecimento permite-nos visualizar uma diocese que é sempre mais que o meu arciprestado, a minha zona, a minha paróquia, o meu grupo ou movimento.

Pertencer à diocese é mais do que habitar no seu território, identificar as suas fronteiras, conhecer factos históricos, saber quem é o seu bispo ou rezar pelos fiéis que a formam. Tudo isso é bom, mas também se exige a cada um que sinta com esta Igreja, se ocupe e preocupe com a caminhada comum, que apareça e participe. Numa palavra, não podemos viver esta pertença de forma telescópica, à distância, com receio de misturas e da proximidade.

Aceitar o convite e rumar até à Lapa é assumir uma pertença comum e manifestar a vontade de participar na edificação de um corpo que precisa de cada um para crescer e se santificar.

in Voz de Lamego, ano 86/32, n.º 4368, 21 de junho de 2016