Início > Editorial, Evangelho, Mensagem, Papa Francisco > CRIAÇÃO E INDIFERENÇA | Editorial Voz de Lamego | 24 de maio

CRIAÇÃO E INDIFERENÇA | Editorial Voz de Lamego | 24 de maio

animais-gatinho-frio-wallpaper

O destaque de primeira página da edição da Voz de Lamego desta semana vai para a XXXI Jornada Diocesana da Juventude, realizada na Santa Helena, na Zona Pastoral de Tarouca, e para o 3.º Encontro de EMRC da Diocese de Lamego que se realizou na cidade de Lamego. No interior do Jornal Diocesano podem encontrar-se o desenvolvimento das notícias, ilustradas com imagens.

Muitas outras notícias da Diocese e da região merecem atenção, bem assim como os textos de reflexão.

O Pe. Joaquim Dionísio, nosso Diretor, no Editorial opta por refletir sobre a chamada de atenção do Papa Francisco para o cuidado da natureza, que começa no cuidado com o nosso semelhante. Sublinhe-se que muitas vezes os defensores dos animais esquecem o cuidado à família e aos vizinhos… além da equiparação dos animais de estimação aos filhos, nomeadamente no que diz respeito aos benefícios de IRS…

CRIAÇÃO E INDIFERENÇA

O relato da Criação oferecido pelo primeiro livro da bíblia  diz-nos que, a coroar toda a obra, Deus criou o homem e a mulher, dando-lhes o encargo de zelar por tudo. Daí que todas as criaturas sejam merecedoras de atenção e cuidados, a começar pelos seres humanos mais desprotegidos. E nem sempre assim acontece!

A este propósito, no passado dia 14, durante uma Audiência Geral e a propósito do conceito de “piedade”, o Papa questionou o exagerado desvelo de alguns diante dos seus animais de estimação face ao esquecimento a que votam os seus semelhantes: “quantas vezes vemos gente que cuida de gatos e de cachorros e depois deixa sem ajuda o vizinho ou vizinha que passa fome!”.

Na sua encíclica “Laudato si”, Francisco sublinha que o poder humano tem limites e que é contrário à dignidade humana fazer sofrer inutilmente os animais e dispor indiscriminadamente das suas vidas, classificando como errado ver nos outros seres vivos objectos que podem ser submetidos ao domínio arbitrário do ser humano.

Mas o olhar atento e o oportuno cuidado para os animais não podem substituir a proximidade com os irmãos. O que está mal não é o tratamento devido àqueles, mas a indiferença diante destes, já que a presença de algum animal de estimação não dispensa o relacionamento com o seu semelhante. O que está mal não é poder apresentar, em sede de IRS, as despesas com animais, mas a sua quase equiparação às despesas com filhos. No meio da contínua “febre legislativa”, o mal não é legislar para proteger os animais, mas o esquecer-se de promover e defender a vida humana…

A palavra do Papa convida a uma hierarquização de princípios e de valores que presidam a hábitos e opções onde a indiferença humana seja excluída.

in Voz de Lamego, ano 86/25, n.º 4364, 24 de maio de 2016

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: