Início > Editorial, , Jesus Cristo, Notícias, Peregrinações, Santuários > PEREGRINAÇÃO – CONVERSÃO | Editorial Voz de Lamego | 10 de maio

PEREGRINAÇÃO – CONVERSÃO | Editorial Voz de Lamego | 10 de maio

Editorial Voz de Lamego

A edição da Voz de Lamego apresenta, como habitualmente, uma riqueza de temas, nomeadamente nas variadas reflexões e artigos de opinião, e no desenvolvimento de algumas notícias. Alguns destaques: entrevista com o Pe. Ildo de Jesus, Pároco de Chavães e de Arcos, na Zona Pastoral de Tabuaço e a visita dos seminaristas do 6.º Ano em terras de Tabuaço, o encontro do pré seminário, as obras no Santuário de Fátima, o Fátima Jovem, e as peregrinações, a Visita Pastoral de D. António na Paróquia de Granjal.

O Editorial do Pe. Joaquim Dionísio, Diretor do nosso jornal diocesano, centra-nos na peregrinação como caminho de conversão:

PEREGRINAÇÃO – CONVERSÃO

A peregrinação é entendida como uma iniciativa, pessoal ou colectiva, que os crentes vivem em direcção a um lugar santo por causa de motivações religiosas e dentro de um espírito de fé.

Desde os primeiros séculos, os cristãos colocaram-se em marcha, a caminho, em direcção a lugares de referência para a sua fé: a Terra Santa da Bíblia e de Jesus, os túmulos dos Apóstolos (Roma, Compostela…), os santuários marianos e os lugares onde viveram grandes santos. A sós ou em grupo, o peregrino simboliza a marcha do Povo de Deus para o Pai. Porque “o peregrino tem sempre um objectivo, mesmo se às vezes dele não tem explicitamente consciência. E esse objectivo não é outro senão o encontro com Deus através de Cristo” (Bento XVI).

Por estes dias, muitos se dirigem até à Cova da Iria. As motivações variam (cumprir promessas, acompanhar alguém próximo, experimentar, vencer o desafio, fortalecer a fé, encontrar-se…), mas todas se apoiam na disponibilidade para partir e na vontade de chegar.

No Ano Jubilar em curso está explicito o convite para peregrinar, para encontrar Deus e o próximo, para sair de si e da sua zona de conforto, para abandonar certas práticas e adoptar novos hábitos, para fixar objectivos e avançar segundo as suas forças (MV 14).

Numa palavra, a verdadeira peregrinação rima com conversão. Eis o mais importante e, também, o mais difícil. Porque se não há mudança, apenas ficará o esforço físico.

As famílias, os amigos e as comunidades são testemunhas da mudança protagonizada por muitos peregrinos e dela beneficiam também. E se muitos o conseguem, todos a ela devem aspirar.

A peregrinação pode não ser sempre sinónimo de deslocação no espaço, mas quando Deus é a meta sempre produzirá mudanças na forma de estar e de viver.

Ousemos peregrinar.

in Voz de Lamego, ano 86/23, n.º 4362, 10 de maio de 2016

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: