Início > Ano Pastoral, D. António Couto, Evangelho, Eventos, , Igreja, Jubileu da Misericórdia > Peregrinação Jubilar da Paróquia de Almacave

Peregrinação Jubilar da Paróquia de Almacave

Pere 3

Paróquia de Santa Maria Maior de Almacave

PEREGRINAÇÃO JUBILAR

De acordo com a proposta do Papa Francisco na Bula Misericordiae Vultus de proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, a Paróquia de Santa Maria Maior de Almacave realizou a sua Peregrinação Jubilar à Igreja Catedral de Lamego, no 13 de março, V Domingo da Quaresma. Depois dos ritos iniciais da Peregrinação na Igreja Matriz de Almacave, centenas de paroquianos, destacando-se os movimentos e grupos de apostolado, Irmandades, franciscanos da 0rdem Terceira, escuteiros do CNE, jovens e crianças, peregrinaram, cantando a Ladainha de Todos os Santos, rumo à Porta Santa. Chegados à Igreja Catedral e de acordo com o ritual, o Senhor D. Jacinto Botelho, Bispo Emérito de Lamego, abriu solenemente a Porta Santa, sinal dos braços abertos do Deus da Misericórdia que ia acolhendo todos aqueles que iam atravessando o seu limiar. Cantando o cântico “Misericordias Domini in aeternum cantabo”, a Sé foi-se enchendo com esta multidão peregrina. Depois da oração feita pelas intenções do Santo Padre, iniciou-se a Eucaristia, presidida pelo Senhor D. Jacinto e concelebrada pelos Párocos e pelo Senhor Padre Guardião do Convento de São Francisco. Na partilha da Palavra, o Senhor Bispo, fundamentando-se na Bula, O Rosto da Misericórdia, a todos lembrou que esta peregrinação é o ícone do caminho que cada um realiza na sua existência e, ao mesmo tempo, torna-se um estímulo à conversão do coração que nos levará a ser misericordiosos para com os irmãos, tal como o Pai do Céu é misericordioso para connosco. É neste contexto que as Obras de Misericórdia devem ser a expressão do nosso agir junto daqueles que vivem nas mais variadas periferias existenciais. Cruzar o limiar da Porta Santa é também uma incitação a libertarmo-nos de tudo aquilo que torna o nosso coração pesado e insensível e que não nos deixa caminhar ao encontro daqueles que esperam de nós gestos concretos de misericórdia. A atitude de Jesus perante a mulher adúltera é a atitude que a cada cristão terá que interiorizar para acolher com misericórdia os que na sociedade de hoje se sentem estigmatizados pela marginalização e exclusão.

De acordo com as diretrizes emanadas pelo Conselho Pastoral Paroquial, no Plano Pastora deste ano, esta peregrinação foi devidamente preparada para que se tornasse o ápice da vivência comunitária do Ano Santo da Misericórdia. Partindo da metodologia utlizada aquando da Visita Pastoral do Senhor D. António Couto, Bispo de Lamego, à Paróquia de Almacave no ano transacto, fez-se chegar a todas as famílias da Paróquia o programa da caminha quaresmal deste ano. Assim, ao longo de três semanas, muitos paroquianos se reuniram nas três zonas pastorais da Paróquia para encontros-catequeses sobre a vivência do Ano Santo e reflexão do conteúdo da Bula Misericordiae Vultus. Estes encontros estenderam-se também aos pais das crianças da catequese e grupo de jovens. Foi alargado o tempo dedicado à celebração do Sacramento da Confissão, para acolher todos aqueles que queiram celebrar e experimentar a misericórdia de Deus. Igualmente, a jornada das “ 24 Horas para o Senhor” foi um dia pleno da Graça do Senhor, permitindo que muitos se aproximassem do sacramento da confissão e vivenciassem momentos de intensa oração. O Curso Bíblico, com o tema “ A Misericórdia na Bíblia”, orientado pelo nosso Bispo, D. António Couto, frequentado em três dias por um número muito significativo de paroquianos de Almacave e da Sé, permitiu que se aprofundasse a beleza da Misericórdia de Deus ao longo da História da Salvação e na vida de cada um de nós, através da Palavra e vida do Seu Filho, o Rosto Misericordioso do Pai, que confia, hoje, à sua Igreja a missão de fazer chegar o bálsamo da misericórdia a todos como sinal do Reino de Deus Já presente no meio de nós. A nossa caminhada quaresmal intensificar-se-á no dia da nossa Comunhão Pascal, na solenidade de São José, através do tríduo de preparação com a celebração do Sacramento da Confissão e os momentos de Adoração Eucarística ao encargo dos diversos grupos e movimentos de apostolado e crianças da catequese e seus pais, nos dias 17, 18 e 19 de Março.

Isolina Guerra, in Voz de Lamego, ano 86/17, n.º 4354, 15 de março de 2016

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: