Início > Editorial, , Igreja, Jesus Cristo > ELOQUÊNCIA DISCRETA | Editorial Voz de Lamego | 15 de março

ELOQUÊNCIA DISCRETA | Editorial Voz de Lamego | 15 de março

4354-1

Em vésperas da Solenidade de São José, a Voz de Lamego assinala, pondo em destaque na primeira página, a figura de São José. O editorial, do Pe. Joaquim Dionísio, Diretor do Jornal Diocesano, faz-nos olhar atentamente para São José, Patrono da Igreja Católica, cuja discrição não é apagamento mas serviço.

ELOQUÊNCIA DISCRETA

No próximo sábado, 19 de março, o calendário litúrgico recorda São José, o pai adoptivo de Jesus, a quem Pio IX declarou Patrono da Igreja católica, em 1870.

Apesar de silencioso nos evangelhos, José é a figura discreta que prega com a vida e se torna eloquente pela forma fiel com que cumpriu a sua missão até ao fim.

São José, a quem a escuta fiel e atenta permite obedecer, percorre um caminho de santificação a partir do quotidiano, praticando o que é comum, simples, autêntico. Mas, como escreveu João Paulo II, “esse silêncio de José tem uma especial eloquência: graças a tal atitude, pode captar-se perfeitamente a verdade contida no juízo que dele nos dá o Evangelho: o ‘justo’ (Mt 1, 19)” (A figura de S. José na vida de Cristo e da Igreja, n.º17).

Por isso, falar de José é fazer referência ao crente que se disponibiliza para servir e seguir a Deus, obedecendo e cumprindo a sua missão. Mas é também tornar presente o pai atento e solícito, o marido presente e dedicado, o profissional cumpridor e competente.

Num tempo em é necessário gritar ou protagonizar atitudes menos próprias para ser notícia, José permanece uma referência: não precisa de ruído para ser ouvido, de cartazes provocadores para ser notado, de gestos impróprios para mostrar que existe. Mas está lá, cumpre e “desaparece de cena” sem nos avisar, quando todos os olhares estão voltados para Jesus.

A nossa admiração e estima por todos quantos, como S. José, de forma discreta e eficiente, tornam a vida dos outros mais fácil e alegre, o convívio mais agradável, o trabalho menos árduo, o lar mais acolhedor, a família mais unida, a simplicidade mais visível… Sem lutas, agressões, bicos de pés e sem se julgarem insubstituíveis.

in Voz de Lamego, ano 86/17, n.º 4354, 15 de março de 2016

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: