Arquivo

Archive for 17/12/2015

Falecimento da Mãe do Pe. Jorge Dias

luz-solar-planta-vida-clorofila-magnésio

Deus, Pai de Bondade Infinitiva, chamou à Sua presença a Mãe do Pe. Jorge Manuel dos Santos Dias, senhora D. Idalina Dias dos Santos.

O Funeral será celebrado doa dia 19 de dezembro, sábado, pelas 10h30, em São João de Tarouca.

O Pe. Jorge Dias é Pároco de Casteição, Longroiva e Marialva, Capelão da Santa Casa da Misericórdia de Mêda.

O Presbitério, sob o Pastoreio de D. António Couto, manifesta a sua comunhão com o Pe. Jorge Dias e com a sua família, neste momento de especial sensibilidade. Por certo, que a amizade e oração do presbitério será acompanhada pela mesma comunhão das comunidades que estão confiadas ao Pe. Jorge Dias.

Demos graças a Deus pelo Dom da Vida e da Ressurreição desta nossa irmã Idalina. Deus a acolher no eterno descanso e a todos nos conceda confiança na vida eterna que nos espera e nos atrai e por ora nos compromete com o anúncio do Reino de Misericórdia.

Abertura da Porta Santa abre Jubileu | Ano Santo da Misericórdia

IMGP9414

A diocese de Lamego, em comunhão com a Igreja universal, viveu festivamente o início do Jubileu extraordinário da Misericórdia, na tarde do passado domingo. Em simultâneo, as cerimónias aconteceram em Lamego, na Sé, e no Santuário de Nossa Senhora da Lapa.

Em Lamego, os fiéis congregaram-se na igreja de S. Francisco, sob a presidência do nosso bispo, D. António Couto. Nos ritos iniciais, a par da saudação, o Pastor diocesano sublinhou a singularidade do momento e a alegria da misericórdia proposta como caminho e porta de entrada no convívio de Deus e dos irmãos.

Após a proclamação do evangelho proposto pelo guião preparado para toda a Igreja, a multidão dirigiu-se, em procissão, para a Sé, entoando louvores a Deus e pedindo a intercessão de todos os santos, rezando a ladainha. Algumas centenas de metros depois, no adro da igreja catedral, uns trompetes anunciaram a abertura da Porta da Misericórdia que o Senhor Bispo abriu logo de seguida. E foi também seguindo o Pastor, que transportava o Evangeliário, que a numerosa assembleia entrou e ocupou todos os espaços da igreja. A cerimónia continuou com o rito da aspersão, recordando a todos as fontes baptismais pelas quais se incorporaram a Cristo, e com a celebração eucarística.

Como notas finais, sublinhar a multidão que encheu por completo a Sé, o razoável número de sacerdotes (cerca de quarenta), a participação do coro da catedral e o trabalho dos que mais de perto estiveram envolvidos na preparação das cerimónias.

De acordo com alguns testemunhos, a abertura da Porta da Misericórdia no Santuário da Lapa também decorreu bem. Presidiu à celebração o nosso bispo emérito, D. Jacinto Botelho, a que se juntaram alguns sacerdotes (nove) e um razoável número de fiéis leigos.

Com alegria, a diocese iniciou a vivência deste Ano Santo que se espera seja ocasião privilegiada de encontro de cada baptizado consigo próprio, com Deus e com os irmãos.

in Voz de Lamego, ano 85/54, n.º 4341, 15 de dezembro

Ordenação de Presbítero | Pe. Amadeu Gonçalo Vaz Lino

1090

No passado dia 8 de dezembro, Solenidade da Imaculada Conceição, a Igreja ficou mais enriquecida com a ordenação de seis novos sacerdotes na Diocese de Beja. Entre eles está o Pe. Amadeu Gonçalo Vaz Lino, nascido em Lisboa, vivendo com seus pais Joaquim Lino e Laurinda Vaz, e seus irmãos na paróquia de Lazarim, da nossa diocese de Lamego. Estudou no nosso Seminário Maior até ao 6º ano e depois foi para terras mais planas, o Alentejo. Terminou os seus estudos em Lisboa  e foi ordenado sacerdote com mais seis colegas

A ordenação presbiteral deste seis presbíteros, teve lugar na Capela do Seminário de Beja, pequena para tantos  fiéis que participaram na  Eucaristia, presidida por D. António Vitalino e o Bispo seu sucessor  – D. João Marcos.

A presença de meia centena de Sacerdotes, mostrou bem a comunhão sacerdotal  e a alegria de ver  aumentar o número de Sacerdotes nessa diocese alentejana.

Como é belo pensar que a Igreja não é fechada a uma paróquia, a uma diocese, a um país. Ela é aberta a todo o Mundo, porque é Universal. Nenhum dos seis  novos presbíteros tinham raízes familiares em Beja, ou até no Alentejo; três vieram do Brasil, um da Nigéria, um de Lisboa e o Pe. Amadeu da nossa Diocese.

Na homília o Senhor D. António Vitalino, agradeceu a Deus o chamamento destes novos servidores, de origens diferentes, chamados do meio do povo, em lugares diferentes e distantes, não para serem servidos mas para servir, serem enviados em serviço para o povo de Deus.  Ser « um serviço de alta qualidade, pois não possuem prata ou ouro, mas o Espírito de Jesus, que oferece a sua vida pelo povo, para que este tenha vida e a tenha em abundância» (Cf At 3,6).

Louvo também o Senhor, pelo facto do Pe. Amadeu ser meu paroquiano e agora vê-lo e tê-lo como meu colega e trabalhador na mesma vinha do Senhor.  A localização da vinha é diferente porque não tem tantos montes e vales como na nossa diocese, mas a planície do Alentejo, faz ver que a vinha é enorme e que os filhos e filhas de Deus estão prontos a acolher o mensageiro do Amor de Deus, dispensador da Misericórdia e do Perdão.

Parabéns Pe. Amadeu e que Mossa Senhora te ajude sempre a caminhar nesse longo e belo Alentejo, amando sempre Jesus Cristo no amor aos irmãos.

Pe. Agostinho Ramalho, in Voz de Lamego, ano 85/54, n.º 4341, 15 de dezembro