Início > Ano da Vida Consagrada, Eventos, , Jesus Cristo, Oração, Testemunho > Abertura do Cinquentenário da morte de Monsenhor Alves Brás

Abertura do Cinquentenário da morte de Monsenhor Alves Brás

cartazcinquentenario

O início das celebrações do cinquentenário da morte de monsenhor Joaquim Alves Brás teve o seu início no dia 18 deste mês, subordinado ao tema «Pe. Brás: um coração compassivo e empreendedor». O tema escolhido, para além de sintonizar com o ano da Misericórdia, revela também a vertente missionária de Monsenhor Alves Brás. Por esta razão, o Dia Mundial das Missões, dia 18 de outubro de 2015, foi a data de Abertura do Ano Jubilar.

Para além da abertura do Ano Jubilar, a 18 de outubro de 2015, importa destacar a celebração do cinquentenário da morte do padre Joaquim Alves Brás a 13 de março do próximo ano e o encerramento das comemorações a 19 de junho de 2016, com a Peregrinação Internacional da Família Blasiana, a Fátima.

Joaquim Alves Brás nasceu a 20 de março de 1899, em Casegas, concelho da Covilhã (Diocese da Guarda) e ainda criança sonhava “ser padre, ao menos por ano” e o sonho concretizou-se a 19 de julho de 1925.

As responsáveis pelo Instituto Secular das Cooperadoras da Família (ISCF) afirmam que querem viver este Ano Jubilar “numa atitude de humildade, louvor e gratidão ao senhor e como oportunidade para uma verdadeira renovação vocacional, carismática, espiritual e missionária” identificando-se “ ainda mais, com o coração compassivo e empreendedor do Venerável Pe. Brás que o levou a sair de si próprio para ir ao encontro das ‘periferias existenciais’”.

O ISCF faz votos para que “esta celebração tenha a marca da interioridade e do envolvimento corresponsável de toda a Família Blasiana, dignificando deste modo a Figura e a Obra do Venerável Pe. Joaquim Alves Brás”. Querem fazer deste Ano Jubilar uma oportunidade para concretizar algumas das linhas de ação saídas da Assembleia de 2015, com particular destaque para a formação dos colaboradores e utentes na linha do Carisma; um maior empenho na formação familiar, segundo as linhas orientadoras do Sínodo e um novo impulso à pastoral juvenil vocacional, concretamente aos grupos Focos de Esperança.

O legado do Padre Joaquim Alves Brás está hoje patente nas obras que fundou ao longo da vida: Instituto Secular das Cooperadoras da Família, Obra de Santa Zita, Centro de Cooperação Familiar, Movimento por um Lar Cristão e Jornal da Família.

in Voz de Lamego, ano 85/47, n.º 4334, 20 de outubro

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: