Arquivo

Archive for 17/09/2015

Paróquias de Cujó, Monteiras e Moura Morta têm novo pároco

_U0A7665

Pe. Valentim Fonseca: tomada de posse

O dia 13 de Setembro perdurará na memória de todos aqueles que participaram no início do ministério pastoral do Pe. Valentim Fonseca, como Pároco de Nossa Senhora da Conceição de Cujó, do Divino Espírito Santo de Monteiras e de Nossa Senhora da Apresentação de Moura Morta, na zona pastoral de Castro Daire.

Pelas 11h00, debaixo de intensa chuva, o novo Pároco foi recebido com um ramo de flores, sinal de afecto e boas vindas, em Moura Morta, na companhia do Rev. Mons. Joaquim Dias Rebelo, Vigário Geral da Diocese, do Rev. Pe. Diogo Pereira Filipe, Arcipreste de Castro Daire – Vila Nova de Paiva e do anterior Pároco. Após a proclamação do Evangelho, foi lida a Provisão com a qual o Sr. D. António Couto, Bispo da Diocese de Lamego, nomeia o novo Pároco. Na sua homilia, partindo do comentário às leituras dominicais, o Mons. Joaquim Rebelo agradeceu ao anterior Pároco o seu trabalho e pediu a todos os presentes que ajudassem o Rev. Sr. Pe. Valentim nos seus projectos pastorais naquela comunidade. No final da Santa Missa, seguiu-se um lanche partilhado com toda a população e com as muitas pessoas vindas de Ferreiros, terra natal do Sr. Pe. Valentim.

Pelas 15h00, o Sr. Pe. Valentim, juntamente com o Rev. Sr. Pe. João Carlos Morgado, Pró-Vigário Geral da Diocese de Lamego, foram recebidos na Igreja Paroquial de Monteiras. Foi uma Igreja cheia que, com alegria e simplicidade, acolheu o novo Pároco. Para além do Arcipreste e do anterior Pároco, esteve também presente o Rev. Sr. Pe. Joaquim Dionísio, Reitor do Seminário Maior. Na sua homilia, o Rev. Pe. João Carlos, entre várias ideias, recordou umas belas palavras de S. Policarpo sobre o sacerdócio. No final da Santa Missa, foi lida uma breve mensagem de agradecimento ao anterior Pároco e de boas vindas ao Sr. Pe. Valentim.

Às 17h00, teve lugar a celebração da Eucaristia na Paróquia de Cujó, onde estiveram presentes nove sacerdotes, para além do Sr. Pró-Vigário Geral e do novo Pároco. Foi especialmente recordado o pai do Sr. Pe. Bráulio, cujo funeral decorria quase à mesma hora. Ao terminar a Santa Missa, o novo Pároco agradeceu a todos a sua presença, nomeadamente àqueles que, quer da sua terra natal, quer de Vila Nova de Foz Côa, juntamente com os respectivos Párocos, quiseram marcar presença. No final, houve um lanche partilhado com todos os presentes, no salão paroquial.

Aproveito esta oportunidade para desejar ao Rev. Sr. Pe. Valentim as maiores felicidades nesta nova missão que lhe foi confiada e para agradecer a Deus e a todas as comunidades paroquiais a enorme graça que foi tê-las servido como Pároco ao longo dos últimos anos.

Pe. José Alfredo Patrício, in Voz de Lamego, ano 85/42, n.º 4329, 15 de setembro

Ano da Vida Consagrada | Testemunho da D. Fernanda

madre superiora a rezar

Neste dia de Festa da Senhora dos Remédios, os consagrados de Lamego foram convidados a participar na Procissão. Foi uma feliz ideia, mas notou-se a falta de participantes das Instituições; talvez porque parte avisados à última da hora.

Neste ano da vida consagrada, há que unir esforços e testemunhar ao mundo as razões de viver, numa entrega a Jesus, ao serviço dos irmãos: pela causa do Reino, liberdade e gratuidade. “Ninguém ama o que não conhece.”

E o Senhor continua a chamar, porque Deus é sempre o mesmo de todos os tempos…

O Papa Francisco pede-nos para sermos fiéis ou dóceis ao Espírito Santo, sendo coerentes na nossa vida, com coragem, vigilância e firmes na fé…

No longo percurso da Procissão, senti que estar ali era uma graça de Deus, acompanhada por tão grande multidão: adultos, idosos, jovens e crianças. Vindos de longe e de perto, alguns choravam, esperando para verem passar a Mãe e os abençoar…

Perante tudo isto pensava: quem sou eu para ir aqui no meio desta assembleia? Senti alguma responsabilidade, mas ao mesmo tempo ia elevando ao Céu uma prece por todos. Em especial pelas famílias, que tantas dificuldades enfrentam. Sim, a família tem que retomar os verdadeiros valores, e sobretudo viver a presença de Deus, colaborando com Ele na criação de novas vidas, formando e educando os filhos para que a sociedade se valorize e assim o mundo se torne melhor… O mundo que Deus criou belo para o homem ser feliz. É das famílias cristãs que nascem as vocações para o matrimónio, o sacerdócio ou a vida consagrada.

Que a Senhora dos Remédios a todos abençoe, a cada um na sua missão, na fidelidade e esperança em Deus que é a nossa força.

Maria Fernanda Costa, Instituto Secular das Cooperadoras da Família,

in Voz de Lamego, ano 85/42, n.º 4329, 15 de setembro