Início > Ano Pastoral, D. António Couto, Escolas de Fé, Eventos, , Formação, Jesus Cristo, Jovens, Notícias, Sacramentos > Paróquia de Tabuaço | Celebração do Crisma

Paróquia de Tabuaço | Celebração do Crisma

IMG_0471

No passado sábado, 4 de julho, a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Tabuaço acolheu, com júbilo, o Senhor Bispo, D. António Couto, para a administração do Sacramento do Crisma a 19 jovens e adultos.

No dia anterior, na sexta-feira, D. António Couto reuniu com os crismandos, no Centro Paroquial de Tabuaço, para refletir a importância e o significado do Sacramento do Crisma.

O Senhor Bispo começou por sublinhar que com a unção está completa a instrução, o que falta é colocar em prática o que se aprendeu. Debruçou-se sobre os gestos: a invocação do Espírito Santo, com as mãos abertas, de Quem tudo dá, para que como num puzzle possamos também de mão abertas receber e compartilhar, e a crismação – para que o azeite, que penetra, nos transforme a mente e o coração e nos leve a militar na vivência e anúncio do Evangelho, estando atentos uns aos outros, não deixando que nenhum se perca. As mãos abertas em Adão e Eva deram lugar às mãos fechadas e os dons passaram a ser posse. O melhor da vida não tem preço, não se compra nem se vende. Tudo dar como Jesus. O que baralhou os apóstolos, mormente Pedro, não foi Jesus estar disposto a dar a vida pelos amigos. Também Pedro está disposto a dar a vida por Jesus. O que fez Pedro num oito foi a disponibilidade e a decisão de Jesus dar a vida por todos, até por aqueles que O vão matar…

No sábado, pelas 17h00, a Igreja Paroquial encheu-se de pessoas, de alegria e de festa para acolher o Senhor Bispo.

A celebração do Crisma, nesta como em outras paróquias, é um momento de especial importância não apenas para os crismandos e suas famílias, mas para a comunidade no seu conjunto, envolvendo o trabalho e a dedicação de muitas pessoas e dos vários grupos paroquiais – catequese, zeladoras da Igreja, grupo coral, acólitos, conselho económico, conselho pastoral. O cuidado na preparação visualiza-se mais nestes dias, para que aqueles que vêm, mormente o Senhor Bispo, se sintam bem acolhidos e com vontade de cá voltar.

O grupo de crismandos resultou de dois grupos de catequese, que frequentaram o 10.º ano de catequese nos últimos anos pastorais, de 2013-2014 e de 2014-2015, e de alguns adultos que se prepararam mais proximamente com as Escolas da Fé. Nas últimas semanas houve uma preparação mais intensiva, à base do YOUCAT – Crisma, terminando com um tríduo de pregação, com o Pe. Jorge Giroto, refletindo sobretudo nos sacramentos de Iniciação Cristã – Batismo, Crisma e Eucaristia.

Na concelebração da Eucaristia, a presença dos reverendos sacerdotes, Pe. Jorge Giroto, Pe. Filipe, Pe. Ildo e Pe. João Carlos, Pró Vigário Geral da Diocese de Lamego, e Pe. Manuel Gonçalves, pároco desta comunidade.

No decorrer da Eucaristia, na homilia, D. António Couto desafiou os jovens, e toda a comunidade, a imitar Ezequiel, cuja fragilidade acentua a presença e a força de Deus; a imitar Paulo, cuja conversão o mostra a cair não do cavalo mas de si próprio, para que na sua fraqueza sobrevenha a força de Jesus Cristo, e a sua vida transforma-se por completo; a imitar Jesus que vai/vem à sua terra, e dá-Se por inteiro. Entre os seus parentes e amigos, que somos também nós, na sua terra que é nossa, mas também é a Sua terra, Jesus encontra dificuldades em comunicar a vida nova que traz do Céu. Por vezes andamos tão centrados nas coisas da terra que deixamos de olhar para o Céu.

Durante a sua reflexão, D. António falou da esperança que é necessário alimentar, a partir de um poema de Charles Péguy. A esperança é uma menina de 9 anos que não cresce, e é levada pelas mãos pelas suas irmãs mais velhas, a Caridade e a Fé. Olhando mais atentamente, não é a esperança que é levada, é ela que empurra a Fé e a Caridade. Assim os jovens crismandos hão-de ser esta esperança, e levar a esperança, ainda que pequena, para as suas vidas, para a família, para a escola, para o trabalho. Sem desistir. A comunidade deve acolher os crismandos, não deixar que nenhum se perca e os crismandos, por sua vez, deverão inserir-se nas diversas dinâmicas da comunidade.

Depois da solene Eucaristia, com a administração do Crisma, realizou-se um convívio paroquial com os crismandos e suas famílias, com as crianças da catequese, com a comunidade paroquial e com o Senhor Bispo e os sacerdotes que o acompanharam.

Pe. Manuel Gonçalves, in Voz de Lamego, n.º 4320, ano 85/34, de 7 de julho de 2015

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: