Arquivo

Archive for 26/06/2015

PAQUISTÃO | MINORIA CRISTÃ RECUSA SER SILENCIADA

1d.joseph_couttsO presidente da Conferência Episcopal do Paquistão, D. Joseph Coutts, disse à Agência ECCLESIA que a minoria católica neste país se recusa a ficar “calada”, apesar de todas as dificuldades que enfrenta. “Posso dizer, com orgulho, que não somos uma minoria silenciosa ou escondida, nós contribuímos para o bem do país”, assinalou. O prelado dá como exemplo as escolas, hospitais e clínicas católicas, bem como o trabalho realizado junto das pessoas com deficiência, toxicodependentes e marginalizados. “O trabalho que fazemos é para todos”, explicou.

D. Joseph Coutts vem a Portugal num momento particularmente delicado para os católicos paquistaneses por causa dos episódios que envolvem a chamada ‘lei da blasfémia’, com acusações que acabam por ser um rastilho de violência contra cristãos e outras minorias. Segundo o arcebispo, “a própria lei, a forma como está formulada, é o problema” e o Governo, após muitos anos de protestos, “começa a aperceber-se disso”. A mudança tem de começar “nos líderes islâmicos”, para que todos se apercebam de que a lei “precisa de mudanças”, contrariando todas as manifestações de fanatismo.

O presidente do episcopado católico no Paquistão fala numa “Igreja pobre”, que precisa da ajuda material e espiritual de outras comunidades católicas.

A Portugal, o responsável traz ainda o testemunho de viver como cristão num país muçulmano que se está a tornar “cada vez mais islâmico” nos últimos anos. “Como cristãos, não somos cidadãos de segunda classe, não somos imigrantes, temos tantos direitos como os outros”, observa.

O arcebispo de Karachi está em Portugal a convite da Fundação Ajuda a Igreja que Sofre (AIS) e participou este domingo na Ronda da Lapinha, em Guimarães, que este ano reuniu 15 mil pessoas em oração pelos cristãos perseguidos no mundo.

“Não sabemos quando será o próximo ataque contra uma igreja, ou quando e onde o próximo cristão vai ser falsamente acusado de blasfémia e condenado à morte”, alertou o arcebispo de Karachi, em Guimarães.

D. Jorge Ortiga, arcebispo de Braga, destacou o facto de a Ronda da Lapinha ter sido realizada com esta intenção particular de intercessão de Nossa Senhora pelos cristãos perseguidos. “Há cristãos espalhados pelo mundo inteiro que, por fidelidade à fé, arriscam a vida e muitos morrem mesmo”, assinalou.

in Voz de Lamego, n.º 4319, ano 85/32, de 23 de junho de 2015

Alvarenga | Encontro dos padres mais novos da Diocese de Lamego

padres-alvarenga

Como previsto, os padres mais novos da nossa diocese viveram o seu último encontro deste ano pastoral na paróquia de Alvarenga, no passado dia 16 deste mês. Um encontro diferente, já que nos proporcionou um tempo mais alargado para a oração, o convívio e a visita a um monumento.

Às 11h fomos acolhidos pelo Padre José Miguel, pároco de Alvarenga e Cabril, membro do nosso grupo, que se encontra neste espaço pastoral desde os seus tempos de Diácono, há 11 anos. Juntámo-nos no salão da residência paroquial e pusemos a conversa em dia. Falámos de nós, dos sacerdotes que estão doentes, do próximo Simpósio do Clero… Mas falámos também dos nossos encontros, fazendo umas breve avaliação e, mais importante, olhando para diante.

Sobre o que se passou, a opinião geral foi positiva, já que cada encontro proporciona tempo para a oração, o diálogo, o convívio e a partilha entre irmãos.

Em relação ao próximo ano pastoral, é vontade de todos continuar o caminho, mesmo se com pequenos reajustes: marcar, sempre que possível, os encontros para a manhã, terminando com o almoço, já que alguns não podem desmarcar as celebrações da tarde. E é à tarde que, habitualmente, são marcados os funerais; aproveitar o bom tempo para o convívio do grupo, valorizando também a dimensão lúdica; manter a rotatividade da localização dos encontros, favorecendo a presença de todos, nomeadamente dos que não têm aparecido; reservar, ao longo do ano, um tempo de encontro com o nosso bispo.

Por volta das 12h15 juntámo-nos aos fiéis que já esperavam na igreja para celebrarmos a Eucaristia. Após o almoço, em Alvarenga, partimos para Arouca (distrito de Aveiro e diocese do Porto), onde fomos guiados numa visita ao atual museu e antigo mosteiro de Sta. Mafalda, neta de D. Afonso Henriques. Se o tempo não apertasse ainda pretendíamos caminhar nos passadiços que a câmara de Arouca está a montar nas margens do Paiva, mas tínhamos que regressar. Mas ainda tivemos tempo para saborear uns deliciosos doces conventuais que o nosso anfitrião nos ofereceu.

O próximo encontro, de que enviarei mais informações, está marcado para 22/09/2015, em Vila Nova de Paiva, às 10h. Para terminar, uma palavra de louvor e gratidão ao Padre José Miguel pela forma solícita, generosa e amiga com que nos recebeu. Bem hajas!

JD, in Voz de Lamego, n.º 4319, ano 85/32, de 23 de junho de 2015