Início > Ano Pastoral, D. António Couto, Evangelho, Eventos, Visitas Pastorais > D. ANTÓNIO COUTO | VISITA PASTORAL À PARÓQUIA DA PENAJÓIA

D. ANTÓNIO COUTO | VISITA PASTORAL À PARÓQUIA DA PENAJÓIA

DSC03807

COM O BISPO CONSTRUIR A FAMÍLIA DE DEUS

Entre os dias 17 e 22 do mês em curso realizou-se a Visita Pastoral do Bispo da Diocese de Lamego, D. António José da Rocha Couto, à Paróquia de Penajóia.

A Comunidade Paroquial envolveu-se em espírito missionário na preparação deste acontecimento assumindo a Visita Pastoral como uma oportunidade de Evangelização e de criação de laços de fé e amizade que proporcionassem unidade entre todos.

Dos diversos trabalhos de preparação para esta Visita, envolvendo toda a Comunidade com representantes dos diversos locais de culto, movimentos paroquiais, irmandades, jovens e outros pretendendo-se estudar e planificar a dinâmica da Visita Pastoral ao Pastor da Diocese nos momentos de Pré- Pastoral, Visita Pastoral e Pós- Pastoral com o objectivo de promover a ação evangelizadora do Bispo no múnus de ensinar, santificar e governar, renovar na comunidade a sua presença à Igreja Diocesana e criar laços fraternos que promovessem a unidade paroquial, alicerces fundamentais na construção da Família de Deus.

DSC03688Para que todos estes objetivos fossem um resultado positivo a Paróquia como período Pré- Visita, no dia 8 de Fevereiro realizou-se uma tarde vocacional “as vocações ao serviço da Igreja” ; no Primeiro Domingo de Quaresma, através de um Concerto Quaresmal, na Igreja de Santíssimo Salvador e com a presença do Coro da Catedral de Lamego e de dois organistas, oficializou-se a abertura da Visita Pastoral e inserimos o Jubileu da Irmandade de Santíssimo Salvador, no Segundo Domingo da Quaresma, como momento de graça à vivencia da Reconciliação para preparação da Visita Pastoral.

Durante a Visita Pastoral o senhor Bispo percorreu as cinco zonas pastorais da Paróquia: Moledo, S. Geão, Santo António, Santíssimo Salvador e Valclaro, visitando os seus lugares de culto, instituições e doentes. Em todos estes Lugares o senhor Bispo foi recebido com arcos enfeitados, dísticos de saudações, muitas palmas, muto carinho e amizade. Ficou a conhecer a realidade geográfica da Paróquia, reconhecendo-a muito extensa e de difíceis acessos, realçou a beleza e a riqueza agrícola e em cada Eucaristia rezada nos respectivos lugares as suas homilias foram verdadeiras lições de catequese que a todos deixou mais enriquecidos na fé.

No lugar do Moledo, lugar histórico pela sua Capela da Senhora da Ajuda, mandar construir pela Rainha D. Mafalda assim como uma albergaria para apoio dos peregrinos e outros que atravessavam o rio Douro, bem junto ao rio, o senhor Bispo desafiou as pessoas a abrir os corações à abundante água que corre pelas nossas encostas e, que à semelhança da leitura de Ezequiel, ela torne cada vez mais férteis os nossos corações, que não basta ter uma terra carregada de história, com paisagens belas e férteis, onde as primícias da terra brotam cedo, mas ela será tanto mais bela, quanto mais belo fizermos o nosso coração.   Comparou mesmo a Capela da Senhora da Ajuda à piscina do Evangelho, lugar de cura e de graça, onde encontramos a Mãe que sempre está atenta aos seus filhos.DSC03729

Em Santíssimo Salvador, na Eucaristia foi celebrada a Festa a S. José e o Senhor Bispo pediu-nos que olhássemos para S. José e aprendêssemos dele o silêncio. S. José não gritava, ou falava com aspereza, permanecia silencioso, porque só  no silêncio  ele soube escutar Deus. Pediu aos pais para darem bom e abundante fruto pelo testemunho das suas vidas. Aos pais e que foram  muitos os presentes, foi dada uma bênção  própria e receberam também uma flor.

Houve tempo para um encontro com as instituições, Adega Cooperativa, Escola, Junta de Freguesia,  crianças da catequese e  com todos os cristãos envolvidos nos diversos movimentos, e ministérios laicais dizendo que são precisos mais catequistas, mais leitores, mais cantores, mais zeladores…. E que os presentes deveriam convidar outros pela palavra e pelo testemunho.

No último dia  da Visita, Dia 22, o Senhor Bispo, veio desde o Paço Episcopal escoltado por motocares com uma paragem no começo da Freguesia no lugar da Quebrada, onde foi recebido pelo representante da Junta de Freguesia, Pároco e alguns leigos, tendo continuado viagem em caravana e com as motos até à Igreja Paroquial de Molães  onde os Foguetes, o dístico de saudação, a passadeira apropriada ao momento, com a oferta de um ramo de flores pelas crianças do primeiro ano de catequese, com as palmas dos crismandos e do  povo ali reunido fizemos a receção em festa, ao Pastor da nossa Diocese.

A Eucaristia foi muito vivida, muito partilhada desde o coro de crianças e adultos, à palavra de reconhecimento e de alegria proferida por um leigo salientando os desafios propostos pelo senhor Bispo durante os dias que visitou a Paróquia, à cerimónia do Crisma a dez jovens e três adultos, ao ofertório que para além das espécies do pão e do vinho, Bíblia, terço, vela foram levados ao altar todos os produtos criados na terra, objetos que os trabalhadores utilizam no seu dia a dia a trabalhar os campos, flores, e outros elementos apropriados.DSC03694

O senhor Bispo deixou-nos alguns desafios como o  criar a tempo inteiro o Conselho Pastoral que reflicta, reze e dinamize uma pastoral próxima, ternurenta, missionária e anunciadora; criar grupos mistos envolvidos numa pastoral pela saúde e ação social que visitem regularmente os grupos mais vulneráveis; continuar a envolver as crianças, jovens  e famílias na dinamização evangelizadora da Paróquia; promover espaços de oração e de silêncio que favoreçam a unidade paroquial; reconhecer que o Deus Trino é a fonte e a razão única das celebrações litúrgicas, da vivência da Fé, da evangelização e de toda a ação pastoral da Paróquia.

A Visita do nosso Bispo terminou com um almoço – convívio nos espaços da Junta de Freguesia, vivido com muita alegria, muitas pessoas á volta do seu Bispo em conversa amena, satisfeitas pela sua maneira delicada, sempre bem disposto. Das mais diversa formas, o nosso Bispo pode sentir o acolhimento, a alegria e o respeito que em todos os lugares foi manifestado.

Foi, realmente um tempo de graça para os cristãos de Penajóia esta Visita Pastoral do nosso Bispo D. António Couto a quem deixámos uma palavra de  carinho e gratidão.

Muitas pessoas se envolveram para que esta Visita Pastoral, resultasse na Panajóia, mesmo, como um Tempo de Graça. Assim aconteceu. A Comunidade Cristã de Penajóia, conheceu o seu Bispo, aproximou-se dele, falou com ele, rezou com ele e aprendeu dele para sermos transmissores das maravilhas de Deus.

Teresa Felisberto, in Voz de Lamego, n.º 4306, ano 85/19, de 24 de março de 2015

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: