Início > , Mensagem, Opinião > COMBATER A FACILIDADE | Editorial Voz de Lamego | 17 de fevereiro

COMBATER A FACILIDADE | Editorial Voz de Lamego | 17 de fevereiro

vl_15_fev_2015

A edição desta semana da Voz de Lamego faz-nos entrar e entranhar na Quaresma, desde logo com as Mensagens para a Quaresma do Papa Francisco e do nosso Bispo, D. António Couto, com outros textos a refletir sobre este tempo santo, que nos conduzirá à celebração festiva da Páscoa. Chamada de atenção para as Catequeses quaresmais, a proferir na Sé Catedral, nos primeiros 5 domingos da Quaresma, pelas 17h00; o Carnaval merece reflexão em dois artigos de opinião e na sugestão do Carnaval em Lazarim. Muitos outros temas retratados: formação de professores de EMRC, Jornada da Família em Moimenta da Beira, para o Arciprestado de Moimenta, Sernancelhe e Tabuaço; Ano da Vida Consagrada, dando-nos a conhecer o Mosteiro de Clausura das Irmãs Dominicanas; nova reflexão da Pastoral Vocacional; sugestão do Livro de D. António Couto, sobre o Evangelista São Marcos, e muitos outros motivos de interesse.

Publicadas as Mensagens do Papa e do nosso Bispo, tempo agora para o Editorial, do Diretor Pe. Joaquim Dionísio, que nos faz mergulhar na vivência da Quaresma, apontando a oração, a generosidade e a partilha, e o jejum, de forma a combater uma cultura da facilidade…

COMBATER A FACILIDADE

Na linguagem eclesial, Quaresma é sinónimo de conversão, de reconciliação e de comunhão. Durante 40 dias, os católicos do mundo inteiro preparam-se para a festa da ressurreição de Cristo, fundamento da fé. Nesse período, que abarca toda a vida, os baptizados são convidados a mudar de vida e a converter-se, a voltarem-se para Deus e para o outro, praticando a oração, a partilha e o jejum.

O crente não perde tempo quando reza, porque se sabe diante de alguém que o ama. E tomar consciência dessa presença e desse amor é sempre uma oportunidade de crescimento, de descoberta do sentido da vida e de abertura do coração.

A partilha revela a generosidade de dar e a alegria de “investir” para que os outros se realizem. Porque o ato de partilhar o que se é, tem, sabe ou faz é sempre um investimento: no outro (fraternidade) e em si mesmo (santificação).

A prática do jejum possibilita a descoberta de uma vontade que se afirma diante da tentação que espreita. Protagonizar uma certa austeridade pode permitir um eficaz combate à facilidade. E não se trata apenas de privar o estômago de algum alimento, mas de redobrar a atenção para jejuar em certas práticas do fazer e do dizer.

Na mensagem quaresmal que o Papa nos dirige, somos convidados a assumir este “tempo de graça” com vontade de nos renovarmos, combatendo a facilidade instalada, traduzida numa “globalização da indiferença”.

A cultura da facilidade instalou-se; as coisas ou são fáceis de alcançar ou abandonam-se. Isto observa-se em tantos que desperdiçam a vida em atalhos, mas também na corrupção, nas separações, na superficialidade, na incapacidade de ultrapassar obstáculos…

Ousar seguir Jesus Cristo é dispor-se a uma radicalidade que, embora rime, não se conjuga com a facilidade.

in VOZ DE LAMEGO, n.º 4301, ano 85/14, de 17 de fevereiro de 2015

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

<span>%d</span> bloggers like this: