Início > Notícias > LISTA NEGRA dos PAÍSES QUE VIOLAM A LIBERDADE RELIGIOSA

LISTA NEGRA dos PAÍSES QUE VIOLAM A LIBERDADE RELIGIOSA

Secular_States_Map.svgO Relatório 2014 sobre a liberdade religiosa no mundo, da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), revela que os cristãos são o grupo mais atingido pelas violações a este direito, em particular no Médio e Extremo Oriente. O documento, divulgado hoje, realça o impacto negativo da criação ou reforço de “Estados uniconfessionais”, como é visível no caso do autoproclamado ‘Estado Islâmico’.

O documento passa em revista a situação em 196 países do mundo, dos quais 81 (41%) são identificados como locais onde a liberdade religiosa “é perseguida ou está em declínio”.

No total, 20 países são designados como de perseguição “alta” em relação à liberdade religiosa; destes, 14 experimentam perseguição religiosa relacionada com o extremismo islâmico: Afeganistão, República Centro-Africana, Egipto, Irão, Iraque, Líbia, Maldivas, Nigéria, Paquistão, Arábia Saudita, Somália, Sudão, Síria e Iémen. Nos restantes seis países da ‘lista negra’, a perseguição religiosa está ligada a regimes autoritários: Mianmar, China, Eritreia, Coreia do Norte, Azerbaijão e Usbequistão

Um total de outros 35 países (incluindo Angola) foi classificado como tendo problemas de liberdade religiosa “preocupantes”, sem deterioração da sua situação.

A organização católica precisa que, no período compreendido entre outubro de 2012 e julho deste ano, a liberdade religiosa “entrou numa fase de declínio grave”. O documento retrata um aumento das perseguições dirigidas às “comunidades religiosas marginalizadas”, não apenas cristãs, e sustenta que “os países muçulmanos são predominantes na lista de estados com as violações mais graves à liberdade religiosa”.

A análise sublinha que a liberdade religiosa está “em declínio” também nos países ocidentais predominante ou historicamente cristãos, tanto por causa do “desacordo em relação ao papel a ser desempenhado pela religião na ‘praça pública’” como pelo “aumento da preocupação social com o extremismo”.

A fundação pontifícia aponta ainda um aumento da “iliteracia religiosa” entre os decisores políticos ocidentais e os meios de comunicação social.

O relatório apresenta uma série de casos concretos de violações da liberdade religiosa, como o do missionário sul-coreano Kim Jung-Wook, de 50 anos, “condenado a trabalhos forçados perpétuos pelas autoridades norte-coreanas”.

O relatório da fundação assinala, a respeito de Portugal, que “a liberdade de culto é uma realidade concreta na sociedade, respeitada pelos poderes instituídos”.

in VOZ DE LAMEGO, n.º 4287, ano 84/49, de 4 de novembro de 2014.

Categorias:Notícias Etiquetas:,
  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: