Início > Catequese, Formação, Jesus Cristo > CATEQUESE > Um serviço e uma missão da paróquia

CATEQUESE > Um serviço e uma missão da paróquia

catequeseNo início de mais um ano pastoral, todas as comunidades paroquiais se ocupam e preocupam com a importante missão da catequese. Realidade cristã, a catequese é uma iniciativa que contribui para edificar a pessoa, introduz à vivência com Jesus Cristo, ajuda a descobrir Deus e a amá-Lo sobre todas as coisas.

Missão eclesial

Como afirma o Catecismo para Adultos da Conferencia Episcopal Italiana, “A fé é uma vitória difícil, constantemente questionada. A esperança é, muitas vezes, contrariada pela experiência. A caridade pode facilmente perder o seu fervor. Onde beber a energia para a vida cristã? Sobre que alicerces edificar a comunidade?

O cristão e a Igreja nascem e crescem em virtude da Palavra de Deus e dos sacramentos… O primeiro anúncio do Evangelho, centrado na pessoa de Jesus Cristo e no mistério pascal, é levado, em ordem à conversão, àqueles que ainda não o conheceram ou permaneceram indiferentes ou incrédulos. Depois, propõe-se uma catequese mais completa e sistemática a todos os que iniciam uma caminhada em direcção a uma fé mais amadurecida.”

Caminhar com Deus

Inscrever os filhos na catequese paroquial é permitir-lhes encontrar Jesus e descobrir que são seres amados de Deus. Mas é também dar-lhes elementos de reflexão sobre questões que os próprios se colocam sobre si, sobre o mundo e sobre Deus.

O percurso catequético apresenta a fé da Igreja, a sua coerência, a sua inteligência e a sua dinâmica para que cada um possa exprimir a sua própria fé cristã em palavras e actos. No fundo, permite um compromisso progressivo de alguém que caminha com Deus e com o próximo.

A catequese é a experiência do amor de Deus, a expressão da felicidade do acreditar, o desejo legítimo de todo o baptizado receber da Igreja o que a mesma recebeu e acredita. A catequese ajuda os homens e mulheres a manterem-se crentes ao longo da vida.

Transmitir

Como transmitir a fé num contexto de crise generalizada que conhece a nossa sociedade? A pergunta é frequente e as respostas podem variar, embora todos assumam como urgente e necessária a catequese. Uma iniciativa que, talvez, comece a alargar-se e deixe de dizer respeito apenas às crianças e adolescentes. Porque é necessário transmitir a outros os conteúdos do evangelho quando se deseja mudar e constituir comunidades cristãs adultas e convertidas.

Noutros tempos, a fé, como herança recebida, comunicava-se de geração em geração. Qualquer um se podia tornar cristão através da adopção das convicções, dos valores e das práticas dos seus pais. Nos nossos dias a paisagem alterou-se e este movimento já não se observa e concretiza em muitos lares e paróquias.

Numa sociedade que conhece uma crise de transmissão, iniciar na vida e experiência cristã torna-se uma responsabilidade catequética de todos. A transmissão da fé não é apenas uma estratégia a desenvolver mas um saber ser testemunho que se realiza no quotidiano: na catequese, num encontro de jovens, no trabalho, nas romarias e festas… Este saber estar e ser é fundamental para que outros vejam, ouçam, respondam e permaneçam.

Num mundo onde a questão do sentido é plural, num país onde o cristianismo não é a única referencia, as palavras de Tertuliano ressoam com estrondo: “não se nasce cristão, tornamo-nos cristãos”. Tornamo-nos de forma livre, com a graça de uma comunidade eclesial que se apresenta como a fonte, o lugar e o fim da catequese. A fé é uma resposta, fruto de uma escolha que requer um compromisso livre.

A família

Na transmissão da fé, a família continua a ser uma referência e uma realidade com que a Igreja conta e que nenhuma catequese paroquial pode dispensar. Os pais transmitem a fé aos filhos, na simplicidade e no concreto da vida quotidiana, e os filhos edificam os pais. Todos os dias há oportunidades para isso: na oração comum, no trabalho e no repouso, na fadiga e no descanso, no sofrimento e na alegria, participando na vida da comunidade, em grupos e movimentos, disponibilizando-se para assumir alguma missão…

Sabemos que muitos se demitem dessa missão, alheiam-se voluntariamente do compromisso e esquecem promessas feitas. A comunidade paroquial assume, convoca e oferece tempos de formação para todos, a começar pelos mais novos, na catequese semanal. Mas há outros encontros que proporcionam formação: preparação de sacramentos, a homilia, a piedade popular, as romarias, peregrinações, jornais e folhas paroquiais, visitas…

Semear

Falar de catequese é sinónimo de tantas situações experimentadas nas paróquias: crianças e adolescentes que dão vida, cor e alegria às celebrações, pais presentes que testemunham e colaboram, catequistas solícitos e perseverantes, festas que animam e se recordam, imagens e sons que perduram… Às vezes também é sinónimo de pequenas incompreensões, de palavras menos oportunas, de alguma superficialidade de uns tantos que apenas se preocupam com a festa e descuram o percurso que a prepara…

Mas, sabemos todos, que catequese é sinónimo de semear uma semente que não é nossa e cuja colheita não seremos nós a fazer. A nossa missão é semear, lançar a semente e confiar ao Pai, o dono da seara, todos aqueles que a acolhem e são convidados a frutificar.

 

in VOZ DE LAMEGO, 23 de setembro de 2014, n.º 4380, ano 84/43

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: