Arquivo

Archive for 24/09/2014

PADRES PARA SERVIR | Editorial Voz de Lamego | 23 de setembro

Padres_servirO jornal da Diocese procura ser VOZ de Lamego, para toda a região que atravessa esta porção do povo de Deus, tratando de refletir a fé e a vida, testemunhando como pessoas e comunidades gastam a vida a favor de outros, fazendo sobressair o que de importante acontece nesta região, nesta Diocese e um pouco do que acontece pelo mundo fora. A preocupação é levar mais longe a Mensagem do Evangelho, trazer para mais perto os que estão longe, fazer com que os distantes se sintam irmãos, acalentar os que se dedicam a fazer o bem, desafiar os que possam estar na praça desocupados, sem nada para fazer, dizendo-lhes e mostrando-lhes que na vinha do Senhor continuam a ser precisas mais mãos, mais corações, mais voz e mais vida, de mais pessoas. Muitas mais. Em Igreja, e no mundo, para dizer bem e bem fazer, nunca há pessoas a mais.

Esta edição do Jornal, com as suas reflexões adentra-nos no coração, leva-nos a Jesus, traz-nos a memória do Salvador que se visualiza em nós, nas nossas comunidades e nos acontecimentos do tempo presente. Leva-nos a Penedono, à Romaria de Santa Eufémia. Leva-nos a Castro Daire, à tomada de posse do Pe. Jorge Henrique, em Ester e Parada de Ester. Introduz-nos na temática da catequese e testemunha o trabalho missionário e caritativo dos Mensageiros de Fátima, de a outras iniciativas de manifesta solidariedade com pessoas idosas. A Voz de Lamego traz-nos a Voz da Igreja e da região, traz-nos a Voz do Papa nas diversas intervenções durante a semana precedente.

Para já o EDITORIAL. Leitura obrigatória para quem entranha no Jornal da Diocese:

PADRES PARA SERVIR

Os padres diocesanos são cooperadores do bispo para a edificação da Igreja. Após a necessária formação, os candidatos chamados são ordenados e enviados em missão pastoral para junto das comunidades cristãs, razão da sua ordenação. Podem, ocasionalmente, assumir outras missões, mas a primeira será sempre o estar no meio dos fiéis, em nome do pastor, para servir.

A diminuição de paroquianos e de sacerdotes leva a que o mesmo padre possa assumir a responsabilidade de várias paróquias. E, de vez em quando, há mudanças: por nomeação do bispo diocesano deixa-se um determinado espaço ou função e assume-se novo encargo.

Na nossa diocese, por estes domingos, há comunidades que se despedem de quem as serviu e que acolhem quem de novo chega para cumprir idêntica missão. Um movimento que se compreende, se aceita e que, às vezes, também se deseja.

A este propósito, porque não referir tantos párocos que, acompanhados por catequistas, responsáveis de grupos e movimentos ou membros de concelhos diversos, sem saírem das suas aldeias e de forma discreta, nos dão verdadeiros exemplos de “uma Igreja em saída” de que fala o Papa?

E quantas vezes essa missão e esse testemunho não se concretizam no meio de dificuldades para as quais Jesus já havia prevenido, quando alertou os seus discípulos para o facto de não serem “superiores ao Mestre” e os comparando a “ovelhas no meio de lobos”?

O pároco é sempre um alvo fácil para a pontaria comum. E se algumas críticas são justas e oportunas, muitas há que podem ofuscar o ardor e o exemplo de tantos que, por essas paróquias fora, no meio do povo, se doam até ao fim.

Pe. Joaquim Dionísio, VOZ DE LAMEGO, 23 de setembro de 2014, n.º 4380, ano 84/43