Início > Editorial, Opinião > Olfacto e Fidelidade – Editorial Voz de Lamego – 24/06

Olfacto e Fidelidade – Editorial Voz de Lamego – 24/06

Imagem

Aí está mais uma edição do Jornal Diocesano, VOZ DE LAMEGO, com a variedade de temas, reflexões, notícias, eventos.

Na edição desta semana, destaque para a celebração da Solenidade do Corpo de Deus, na cidade de Lamego, sob a presidência do sr. Bispo, D. António Couto, cuja HOMILIA é reproduzida na íntegra. Outro dos temas desenvolvidos, são os 25 anos de Padre, nesta edição do Pe. João António, Reitor do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios. Mas há muitos outros motivos de interesse, não apenas curiosidades, mas sobretudo pelas propostas de reflexão, numa visão humanista e cristã.

Ambientando todo o jornal, o Editorial do seu Diretor, Pe. Joaquim Dionísio:

OLFACTO E FIDELIDADE

A propósito da presença e missão do bispo, o n.º 31 da Exortação “A alegria do Evangelho”, do Papa Francisco, dá orientações: às vezes deve ir à frente para “indicar a estrada e sustentar a esperança”, outras manter-se simplesmente no meio “com a sua proximidade simples e misericordiosa” e, por fim, atrás do povo para “ajudar aqueles que se atrasaram”. Mas, a propósito desta última localização, acrescenta que o “rebanho possui olfacto para encontrar novas estradas”.

Interpela esta última afirmação: o pastor deve seguir o rebanho? E se este toma a direcção errada? E se as “novas estradas” não coincidem com o projecto evangélico?

O olfacto é um dos sentidos que possuímos e percebemos a intenção do Papa: há intuições que merecem ser tidas em conta e todos os baptizados podem contribuir para a sua existência. E como se traduz esta realidade no concreto de uma comunidade, de um povo, de uma diocese? Que condições existem, são proporcionadas, para que o olfacto do rebanho se exercite, desbrave caminhos e arraste os outros?

O Papa convocou um Sínodo sobre a família para o Outono deste ano, algumas dioceses lusas estão em caminhada sinodal e vozes há que se levantam para outras o fazerem também. Esta é uma forma de cumprir o que o Papa sugere; haverá outras. O importante é não perder de vista a possibilidade de incluir mais fiéis na escolha e fixação dos possíveis caminhos. E tudo, sempre, para concretizar a Igreja, aqui e agora, anunciando e seguindo Cristo ressuscitado.

No fundo, todos precisamos de um olfacto apurado para discernir, encontrar novos percursos sem sermos infiéis aos antigos. Porque a criatividade não se entende longe da fidelidade.

in Voz de Lamego, 24 de junho de 2014, ano 84/32, n.º 4270

  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: